Demagogia no Brasil

A demagogia no cenário político brasileiro tem sido alvo de constantes críticas por parte dos cidadãos e da imprensa. Trata-se do resultado gerado pelo comportamento das figuras políticas no relacionamento com o povo, capaz de travar o desenvolvimento social.

Nos dicionários, o sentido real da palavra demagogia diz respeito à capacidade de liderança popular. Mais precisamente, do poderio político das facções populares. No entanto, as promessas e encantamentos utilizados pelos personagens políticos como estratégia para atração do povo deram à palavra um novo significado. Dessa vez pejorativo.

Demagogia passou a ser relacionada às artimanhas desenvolvidas com o intuito de manipular o povo para despertar paixões e identificações que ajudem a conquistar o poder político. Estamos falando do poder de persuasão, sejam os argumentos reais ou não, para atrair a preferência popular.

o que e demagogia e o cenário político brasileiro

O que é demagogia e o cenário político brasileiro

Demagogia e o senso político

Os métodos de atração e convencimento social aplicados pelos personagens da política brasileira já são conhecidos. Assim, nos períodos de eleição, é comum se deparar com candidatos que apresentam promessas que provavelmente não irão cumprir. Mas, essas promessas dialogam com anseios específicos de grupos sociais e geram a comoção necessária para levá-los ao poder.

Essa estratégia, que envolve pontos de vista, apelo social, discursos e atitudes direcionadas, é classificada como demagoga. Por este motivo, muitos especialistas apontam que a demagogia caminha contra a democracia — que é o modelo ideal pautado pela participação popular.

Demagogia no dia a dia

Essa também é uma característica que pode ser conferida a qualquer cidadão comum.

Isso significa que, ao utilizar um discurso acolhedor e inidôneo com o intuito de obter algo, o indivíduo pode ser considerado um demagogo.

Constituição de 1988: demagogia versus direitos sociais

Ao falar do discurso demagogo, é inevitável citar trecho da Constituição Federal, promulgada em 1988, sobre os direitos sociais básicos de qualquer cidadão:

  • Educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer e segurança. Também a previdência social, a proteção à maternidade e à infância e a assistência aos desamparados.

São direitos que, numa sociedade ideal, deveriam ser cumpridos pelo Estado para garantir qualidade de vida aos cidadãos. Entretanto, meio às falhas do sistema público, esses direitos são utilizados como argumentos principais dos discursos demagogos. Como resultado, acabam servindo como moeda de troca para alcance do poder.

Estudiosos do cenário político e social brasileiro atribuem a ascensão da demagogia ao fato de que grande parcela da população não possui preparação intelectual suficiente para entender a importância de sua participação na vida política, inclusive na hora do voto. E esse é, portanto, um resultado próprio da demagogia, marcada por promessas de melhorias em todas as áreas sociais, inclusive na educação — direito essencial para desenvolvimento do senso crítico social.

Assim, lidar com a demagogia é um passo que requer, primeiramente, o desenvolvimento do senso crítico populacional. Desta forma, o brasileiro será capaz de obrigar os personagens demagogos a repensarem suas estratégias em busca do poder político.

Em contrapartida, o enfraquecimento da demagogia significa fortalecer as noções de democracia e cidadania. Dando valor prático aos direitos e deveres do cidadão e do Estado previstos na Constituição.

E você, como enxerga a demagogia no Brasil? Deixe sua opinião sobre o tema!

Fazer um comentário sobre o conteúdo: