É Possível Entrar Em Cinemas Com Produtos Comprados em Outro Estabelecimento?

Você tem o costume de ir ao cinema? Sabe se é possível entrar em cinemas com produtos comprados de outro estabelecimento? Sabe se é possível entrar com aquele chocolate que você comprou na loja mais barata do shopping?

Se você tem o costume de comprar produtos mais em conta do que na loja de snacks do próprio cinema, você precisa conhecer seus direitos!

Afinal, é muito desconfortável passar constrangimentos com relação aos produtos que você gosta de consumir! Até porque ninguém é obrigado a comer pipoca ou ficar com fome! Então continue lendo para conhecer seus direitos.

Venda Casada: uma prática muito comum no Brasil

e possivel entrar em cinemas com produtos comprados em outro estabelecimento

Se você deseja se alimentar dentro do cinema, mas não está disposto a comprar nenhum dos itens que vende no próprio cinema, você tem direito a levar produtos que foram comprados em outro lugar.

É preciso sempre ter atenção para respeitar as regras, como não levar garrafas para as salas de cinema ou qualquer item que possa gerar desconforto nos demais clientes porque você está fazendo barulho e atrapalhando a sessão.

No entanto, a proibição de entrada com produtos que não foram comprados na bomboniere do cinema é considerada uma prática abusiva, porque limita o poder de escolha do consumidor.

Mas é preciso que o cliente entenda que o cinema é um ambiente coletivo e que os itens vendidos pelo cinema são fornecidos em embalagens que não causam ruídos ou que não emitem cheiros que possam incomodar os demais usuários da sala de cinema.

Por isso, a conduta mais sensata é adquirir produtos similares aos que são vendidos pela empresa, como por exemplo: chocolates, água, refrigerante já em copo, entre outros; Ou seja, itens que não irão afetar a limpeza do local ou a comodidade das outras pessoas.

Decisão do STJ sobre entrar em cinema com produtos de outros lugares

O Superior Tribunal de Justiça decidiu que a prática de um cinema localizado em Mogi das Cruzes de proibir a entrada de uma cliente com alimentos adquiridos em outros estabelecimentos foi uma prática abusiva.

Essa decisão se deu a partir do entendimento do Código de Defesa do Consumidor, quando no artigo 39, inciso primeiro, fala sobre venda casada. Muito embora a decisão tenha sido favorável a cliente que teve o acesso à sala de cinema negada por portar alimentos adquiridos em outros estabelecimentos, essa decisão apenas abre precedentes.

O que não faz com que, necessariamente, a prática de proibição de entrada nos cinemas com alimentos comprados em outros locais acabe.

Para que esse tipo de atitude por parte das empresas mude, é necessário que todos os consumidores que passarem por essas situações constrangedoras entrem em contato com os órgãos de defesa do consumidor.

Para isso, é importante que você tenha como comprovar que a situação ocorreu, levando ingressos do cinema, cupons fiscais das compras e tudo que possa servir para comprovar que você estava apenas exercendo o seu direito de ter lazer em um espaço que foi criado para isso.

O consumidor deve se direcionar ao Procon de seu estado, visando que o cinema que constrangeu esse cliente seja fiscalizado e multado pelo órgão, a multa pode chegar ao valor de R$7 milhões, isso a depender do porte da empresa.

Quando esse tipo de situação ocasiona algum prejuízo financeiro para o consumidor, que, por exemplo, foi impedido de entrar no cinema e não teve o valor do ingresso devolvido, cabe também recorrer ao Procon para solicitar o reembolso do valor.


Agora que você já conhece seus direitos e entende que não deverá acessar o cinema com embalagens ou produtos que possam ocasionar desconforto aos demais clientes, exerça seu direito e reclame nos órgãos competentes caso o cinema esteja sendo abusivo.

A venda casada é uma prática ilegal e deve ser combatida diariamente por clientes que de fato conhecem seus direitos. Afinal, informação é poder!

Fazer um comentário sobre o conteúdo: