Era Vargas

A Era Vargas é um período famosíssimo da história do governo brasileiro, que vai em suma, do ano de 1930 até 1945 com Getúlio Vargas na presidência do país. Eleito em 1930, Getúlio Vargas ficou conhecido por sobretudo, a prática do populismo e a instituição das leis trabalhistas.

Para quem não sabe, populismo foi uma forma de governar onde quem detinha o poder, buscava por formas de melhorar a vida do povo, para conquistá-lo e assim exercer uma certa ‘“ oligarquia disfarçada”, já que por meio da tal conquista, o povo mal percebia a manipulação.

Durante o governo de Getúlio, foi a época que o populismo esteve mais forte. Daí veio o apelido de pai dos pobres, e ele realmente fez algumas melhorias, mas tudo para que o poder fosse centralizado nele mesmo.

Acompanhe agora, como se deu a Era Vargas, seus principais feitos, e como ela impactou o país.

a era vargas e os principais pontos do governo de getulio vargas

A Era Vargas e os Principais Pontos do Governo de Getúlio Vargas

Origem da Era Vargas

O período em que tudo começou foi bastante conturbado. Representava uma espécie de ruptura com a república velha, logo após a revolução de 1930. e também pôs fim a política do café com leite. Além de extinguir a constituição existente e criar uma nova ( processo um pouco mais demorado).

Percebe-se nesse sentido, que Getúlio impactou o país não só de maneira social com as ações voltadas para o povo mas economicamente,. uma vez que o Estado (governo), precisou ser inteiro reorganizado.

Essa Era recebeu uma subdivisão em três fases: Governo Provisório, Governo Constitucional e Estado Novo. Veja mais adiante como foi cada uma dessas fases.

As três fases

Governo Provisório (1930 a 1934) – Como o nome mostra, o Governo e a Era Vargas não estavam previstos para durar o tempo que durou. De início, ele estaria no poder por pouco tempo, apenas com o objetivo de elaborar uma nova constituição e em seguida uma nova eleição.

Mas os planos de Getúlio para o país eram de centralizar o poder em si próprio e para isso adotou as medidas centralizadoras que já causaram alvoroço e descontentamento das elites paulistas.

Essas ações. retardaram a elaboração da nova constituição e esse atraso provocou a revolta das elites, a elaboração de elaboração de um novo código eleitoral, e a revolução de 1932.

O novo código eleitoral era bem moderno para a época e entre as novidades estavam:

  • criação da Justiça Eleitoral;
  • adoção do voto secreto;
  • imposição da obrigatoriedade do voto;
  • concessão do direito de voto e do direito de se candidatar às mulheres maiores de 21 anos.

A insatisfação continuava com os detentores escolhidos por Getúlio, e assim originou-se a revolução de 1932, com característica separatista e se transformou numa guerra cívil.

Governo Constitucional (1934-1937) – Nesta etapa, ocorreu uma altercação política construída em 2 pilares:

O fascista formado por ideais totalitários apoiados pela Ação Integralista Brasileira e o democrático, com o apoio da Aliança Nacional Libertadora, que defendia ações como a reforma agrária e as revoluções feitas pela luta entre as classes, sendo então comunista.

O espírito revolucionário da época foi um “ prato cheio” para a ANL e eles se aproveitaram disso para tentar golpear o governo Vargas através de mais revoltas dentro dos regimes militares em 1935.

No entanto, esses movimentos foram controlados com facilidade por falta de aderência da população a eles e Getúlio conseguiu derrubar seus oponentes de esquerda, anulou a próxima eleição presidencial de 1937 e a constituição de 1934 e dissolveu o poder legislativo.

Dessa maneira, estava se inaugurando a próxima e última fase da Era, o Estado novo, pois Getúlio agora tinha amplos poderes para sua forma de governar centralizada nele mesmo comandando tudo.

Estado Novo (1937 – 1945 ) – Este foi o período em que Getúlio implantou novamente uma política ditatorial intensa. Pode-se dizer que ele foi de certa forma influenciado pelo regime que estava em vigor ao redor do mundo, principalmente na Europa.

Sob o argumento de que o regime em vigor estava ocasionando desordem no Estado, ele deu início a uma caçada política, acabando com os partidos, assembleias legislativa, a câmara dos deputados e o congresso nacional.

Ademais, uma característica marcante do estado novo foi a preocupação com o desenvolvimento. Isso é perceptível devido tudo que foi implementado. Confira a lista abaixo:

  • Tornou obrigatória a disciplina de “Educação Moral e Cívica” nas escolas;
  • Institui um novo valor cambial: o Cruzeiro;
  • Concepção da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a Vale do Rio Doce;
  • Criação do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) para controlar rádios e jornais e do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP), em 1938 para fortalecer a máquina pública e a burocracia e fiscalizar os governos estaduais;
  • Controle dos sindicatos;
  • Implementação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) em 1943, garantindo vários direitos aos trabalhadores;
  • Criação da Justiça do Trabalho, da carteira de trabalho, salário mínimo, descanso semanal remunerado, jornada de trabalho de oito horas e regulamentação do trabalho feminino de menores de idade;
  • Surgimento do Conselho Nacional do Petróleo (CNP), o qual, mais adiante, virá a ser a Petrobras, no ano de 1953;
  • Concretização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco e da Fábrica Nacional de Motores (FNM);
  • Decreto do Código Penal e do Código de Processo Penal Brasileiro.

Tudo isso trouxe de fato algumas melhorias. Contudo, o Estado Novo e claro, a Era Vargas chegaram ao fim em 1945 junto com a segunda guerra mundial, pois Getúlio não pode continuar no poder.

Fazer um comentário sobre o conteúdo: