População do Brasil

A População brasileira passou por densas mudanças no decorrer da história. Alterações na estrutura demográfica, migrações, novas dinâmicas familiares, e o controle de natalidade do país, por ser subdesenvolvido estão entre os fatores que contribuem para isso.

Vamos explicar melhor: O primeiro censo demográfico foi realizado no Brasil em 1872 e nele pôde-se notar que a população brasileira era 10 milhões de habitantes e esse número foi crescendo de forma que em 1940 eram 41,2 milhões de pessoas e no século XX essa taxa quintuplicou.

No entanto, de 1970 em diante esse crescimento foi controlado pela elevação do custo de vida, inserção da mulher no trabalho, o que ocasionou uma inversão de prioridades pois a população que antes era caracterizada por famílias com grande número de filhos, passou a se preocupar em como criá-los, controlando assim a natalidade.

Acompanhe abaixo, informações como tipo de crescimento populacional, população por região e previsão de perfil populacional futuramente.

populacao do brasil e expectativa de crescimento populacional

População do Brasil e Expectativa de Crescimento Populacional

A demografia brasileira

Sabe-se que o Brasil está em quinto lugar no ranking dos países mais populosos. Esta informação é obtida por meio da Demografia.

Se trata de uma parte da geografia que é responsável pelo estudo/pesquisa do perfil da população de um município, estado e país. Através desse estudo obtém-se estimativas do crescimento urbano, taxa de natalidade, condições de vida e saúde, faixa etária entre outros dados do povo de um determinado local.

No país, todo esse trabalho é feito pelo IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Vejamos alguns exemplos desse estudo.

Para maior clareza, faremos uma comparação da faixa etária populacional em diferentes padrões de países que estão classificados como desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes.

Países desenvolvidos – É Onde a presença de idosos é mais marcante, devido ao baixo crescimento vegetativo e à alta expectativa de vida. O investimento previdenciário é bem maior, pois com a população mais velha gasta – se mais com aposentadorias.

Países subdesenvolvidos – A porcentagem de jovens é maior que dos adultos uma vez que a expectativa de vida é baixa. Com predomínio da população de baixa renda, onde as famílias têm maior número de filhos e o Estado (governo) não consegue oferecer a qualidade de vida necessária a todos.

Países emergentes – Caso do Brasil – A população de jovens diminui e a de idosos aumenta, motivando a reforma previdenciária que trouxe idade mínima para aposentadoria e teto para o pagamento da mesma.

Lembrando que o IBGE divide essas faixas por critério de idade, sendo considerados:

  • Jovens (0-17 anos);
  • Adultos (18-64 anos);
  • E idosos (acima de 65 anos).

Também verifica-se o percentual dessa população economicamente ativa, isto é se trabalha ou não, fazendo a razão entre o número de pessoas de cada faixa a cada 100 pessoas.

Mas este não é o único critério, podendo ser ele dividido por regiões do país, urbanização, área urbana x rural, classes sociais e assim sucessivamente.

População no Brasil Atualmente…

Recentemente, o portal de notícias G1 divulgou o resultado de uma pesquisa feita pelo próprio IBGE em julho deste ano. Seguem alguns dos dados.

Em 2001, o Brasil apresentava um pouco mais de 172 milhões de habitantes, o que significa um crescimento de 21% na população brasileira, para hoje que está em torno de 208 milhões. Porém em relação ao ano o crescimento foi apenas de 0,82%.

Como dito acima, esse declínio se deve principalmente à inversão de prioridades das famílias que estão menores, mais focadas na qualidade de vida por causa de seu alto custo, sobretudo, nas grandes cidades. E em virtude disso, evitando filhos o que não era preocupação antigamente.

Abaixo, traremos os números populacionais por região, em 2018:

  • Região Norte: 208.494.900
  • Região Nordeste: 56.760.780
  • Região Centro- Oeste: 16.085.885
  • Região Sudeste: 87.711.946
  • Região Sul: 29.754.036

O que se espera para os próximos anos?

Já foi falado que a decisão da mulher brasileira em priorizar a vida profissional, e o alto custo de vida no Brasil, estacionou o crescimento da população.

Estudos revelam que essa taxa deve subir até 2047. Após isso o número de crianças e jovens decairá e o de idosos seguirá crescendo.

É que uma matéria publicada pela revista Veja mostra outra expectativa do IBGE: a de que a população chegará a 232,5 em 2047 para então começar a cair de maneira gradual.

A pesquisa foi projetada até o ano de 2060, quando a população será de apenas 228 milhões de habitantes.

Diante desse cenário, não é difícil concluir que o país terá cada menos jovens e mais idosos. Os dados são os seguintes:

Nos dias atuais, os brasileiros têm em média 32 anos. Lá em 2060 terão mais ou menos 45; Com efeito, um quarto da população será idosa.

Quanto aos jovens e crianças, a partir de 2039 se notará a diferença. A taxa que hoje é de cerca de 21%, passará a ser de 14% em 2060.

Fazer um comentário sobre o conteúdo: