O que é Voto de Cabresto?

Para começar, vamos definir o termo “voto de cabresto” em si. A palavra Cabresto vem do latim, capistrum, mordaça ou freio. Logo, voto de cabresto originava-se por formas oligárquicas de obrigar as pessoas a votarem de forma favorável aos senhores feudais.

Explicando melhor, durante o coronelismo, que foi um período onde os senhores feudais (coronéis) detinham o poder econômico e buscavam o controle político por meio da violência, troca de favores e manipulação.

Dessa maneira, eles obrigavam o eleitorado que trabalhava para eles a elegê -los, já que o voto era aberto e todos podiam saber em quem o outro votava. O voto era comprado ou imposto por formas que mostraremos a seguir. Acompanhe.

o que e voto de cabresto como funciona

Contexto histórico

No decorrer do tempo, a forma de votar foi mudando junto com as constituições. E na Constituição de 1824, foi liberado que homens votassem universalmente, mas ainda excluindo grande parcela da população, que na época era composta por mulheres, analfabetos e menores de 21 anos.

Com isso, os senhores donos de terra conseguiam manipular os votos. Essa manipulação se dava por meio de compra/troca de votos por pares de sapatos, alimentos etc.

Não raro, ocorria também a intimidação dos eleitores já no local de votação e fraudes onde urnas ‘sumiam’ e documentos eram falsificados para que uma mesma pessoa pudesse votar várias vezes ou até mesmo em nome de gente falecida.

Ademais, tem-se exemplos de voto de cabresto também na Política do café com leite.

Na política do café com leite consistia em acordos realizados entre os políticos dos estados de Minas Gerais e São Paulo com a finalidade de os mesmos se manterem no poder.
Tanto é que durante esse período muitos presidentes da república foram paulistas e/ou mineiros.

Como funciona o voto de cabresto nos dias de hoje

Engana-se quem pensa que o voto de cabresto foi totalmente extinto desde a conquista tão esperada da democracia. Hoje existe o que se pode chamar de “cabresto velado”.

De maneira que os eleitores mais desatentos a essas práticas podem ser enganados sem que percebam. Isso devido ao fato de as campanhas políticas poderem ser manipuladas e editadas de acordo com o objetivo de cada candidato.

O que leva os eleitores a crerem no que for mais favorável para cada lado. Além disso, existe o voto que pode ser comprado, trocado por alguma ajuda, esse tipo de coisa.

Acompanhe abaixo os exemplos de voto de cabresto na atualidade

Voto Branco ou Nulo

Muita gente desanimada com a situação da política brasileira, acaba optando por votar branco ou nulo por achar que seu voto não vai ajudar nenhum dos candidatos.

O que essas pessoas esquecem é que isso ajuda a candidatos que têm noção de seu eleitorado e do número de votos que receberão, assim o voto inválido diminui a chance do concorrente.

Candidato Zumbi

O resultado final desse método, é quase o mesmo dos votos inválidos.

São usadas cobaias, isto é candidatos sem preparo nenhum ou ligados a um máfia política que desestruturam campanhas de seus concorrentes para conseguirem votos de eleitores que não sabem quem escolher.

Na maioria das vezes, esses zumbis conseguem voto por pena ou falta de opção do eleitor e em sequência derrubam seus oponentes.

Compra/Troca de Votos

Essa é uma prática que acontece sim, nas grandes metrópoles, mas é ainda mais recorrente nas cidades do interior do país, onde os recursos da população são precários e eles têm acesso ao mínimo de renda possível, tendo que viver muitas vezes da ajuda de autoridades locais como a prefeitura.

Em virtude disso, essa parcela mais carente da população eleitoral troca e ou vende seu voto em troca de pequenas ajudas, que consideram presentes como cestas básicas, peças de roupas, pares de sapatos ou mesmo quantias em dinheiro.

Foram realizadas pesquisas que apontam que 1 em cada 7 eleitores brasileiros admitem ter recebido “presentes” em época de eleição.

Esse tipo de crime é um dos mais antigos e eficientes ainda hoje.

Da violência ao convencimento mais gentil

O voto de cabresto também chega a se manifestar de forma mais agressiva, sobretudo em favelas, onde as pessoas por vezes são encurraladas por polícias em parceria com determinado partido ou traficantes e obrigadas a votar em algum candidato que esse grupo de “poder” prefere.

Acontece muito dentro de empresas, órgãos e dentro do próprio governo, quando funcionários são coagidos a votar em alguém sob ameaça de perderem o emprego ou mesmo por algum pequeno benefício salarial, por exemplo.

Algo tão mascarado e declarado ao mesmo tempo, basta que prestemos atenção nesses atos do nosso dia a dia na época das eleições.

Vale ressaltar que o voto de cabresto é crime e cabe denúncia no Tribunal Superior Eleitoral. Contudo o número de denúncias ainda é bem pequeno.

Fazer um comentário sobre o conteúdo: